COMPARTILHE
Falso empresário tentava negociar jogadores da dupla Gre-Nal (Foto: Ricardo Rimoli/AGIF)

Um homem suspeito de falsificar documentos para se passar por empresário de jogadores da dupla Gre-Nal está sendo investigado pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul. Sem ter sua identidade divulgada, o homem de 33 anos, estudante de Direito, teria tentado negociar Luan, do Grêmio, e Leandro Damião, do Inter, com clubes do exterior.

De acordo com as autoridades que investigam o caso, o suspeito se reuniu presencialmente com representantes de clubes extrangeiros como Everton, da Inglaterra, para tratar da falsa negociação do atacante Luan. Ele também teve reuniões com representantes de Al Wehda Soccer Club, da Arábia Saudita.

Leandro Damião foi citado com um dos jogadores que seria falsamente negociado (Foto: Divulgação)

Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão em diferentes bairros de Porto Alegre. Na operação, a polícia apreendeu documentos bancários, da Justiça Estadual, da Receita Federal, da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), do Grêmio, autorizações de negociação e documentos pessoais falsificados dos atletas, entre outros. O trabalho, agora, busca saber se o suspeito também recebeu valores nas falsas negociação e se os clubes envolvidos tiveram prejuízos com a farsa.

A prisão cautelar do homem chegou a ser pedida pela polícia, mas não foi atendida pela justiça. De acordo com os investigadores, os documentos apreendidos comprovam que o estudante teve, ao menos, conduta de estelionato.

Em entrevista, o representante de Leandro Damião, o empresário Vinicius Prates, disse que ffoi procurado pelo estudante com uma falsa oferta de outro clube da Inglaterra por Victor Bobsin, promessa das categorias de base do Grêmio. “Ele me procurou uma vez, por um funcionário meu e disse que tinha proposta pelo Bobsin, do Leicester. Mas eu conhecia o diretor do clube e sabia que era mentira. Como é normal no futebol, não dei bola. O problema foi quando um empresário europeu me procurou para falar sobre o Leandro. Disse que tinha um cara de Porto Alegre que o procurou e disse que trabalhava comigo. Esse empresário me passou os documentos falsos, o contrato com o Al Wheda falsificado que ele apresentou em meu nome. A sorte é que fui procurado diretamente por esse empresário europeu. Na hora, eu procurei a Polícia Civil”, disse o empresário ao globoesporte.com.

Luan, do Grêmio, também foi um dos jogadores citados no caso (Foto: Divulgação)