COMPARTILHE
Renato Portaluppi | Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Depois de ter sido derrotado por 2 a 1, de virada, para o River Plate na noite de ontem na Arena do Grêmio, o tricolor vai à Conmebol reivindicar os prejuízos sofridos na partida, marcada por polêmicas. No primeiro gol dos argentinos, marcado por Borré, o jogador acabou desviando a bola com a mão. A polêmica se fez pela ausência da verificação do VAR no lance. Mais tarde, porém, o vídeo seria usado para marcação do pênalti que decretou a virada do River, após a bola pegar na mão do zagueiro Bressan.

Apesar dos gols contestados, a grande polêmica do jogo que faz o Grêmio pedir à entidade máxima do futebol sul-americano foi a presença do técnico Marcelo Gallardo, suspenso, que não poderia ter participado da partida e foi visto se dirigindo ao vestiário dos visitantes, atitude depois confessada pelo mesmo, além de dialogar com seu auxiliar técnico através de equipamentos eletrônicos.

Em nota divulgada no seu site oficial, o Grêmio afirma que “decidiu ajuizar reclamação por descumprimento do regulamento geral da competição e do regulamento disciplinar, em face da participação irregular do treinador do River Plate no vestiário durante o intervalo para instruções aos atletas do seu clube, assim como por meio de comunicação por rádio com seu auxiliar – estando ele suspenso pela Conmebol. A tipificação do fato está devidamente comprovada no artigo 176 do regulamento geral da competição e artigos 19, 56 e 76 do regulamento disciplinar da Conmebol”.

O clube, através de comitiva liderado pelo presidente Romildo Bolzan, se dirige na tarde de hoje à sede da Conmebol em avião fretado pelo investidor Celso Rigo, e terá reuniões à partir das 16h com representantes da