COMPARTILHE
Foto: Julian Finney/ AFP

Neste sábado a tenista japonesa Naomi Osaka conquistou o título do US Open, o Aberto dos Estados Unidos, ao derrotar em uma final extremamente polêmica a “revoltada” Serena Williams, que após receber ordens do técnico e quebrar a raquete, chamou o árbitro de cadeira, o português Carlos Ramos de ladrão, sendo punida com a perda de um game. Osaka, de apenas 20 anos, não tomou conhecimento da lendária jogadora, vencendo o Grand Slam em dois sets, 6/2 e 6/4, em apenas uma hora e 20 minutos de partida.

Foto: Julian Finney/ AFP

Entenda a Polêmica

Durante a partida, Serena recebeu uma primeira advertência por receber ordens do técnico, uma segunda por quebrar a raquete e uma terceira por chamar de “mentiroso” e “ladrão” o juiz de cadeira, o português Carlos Ramos. A declaração de Serena, foi captada pelos microfones de quadra, obrigando o árbitro a puni-la com a perda de um game, o que colocou Osaka, que já havia vencido a primeira parcial em 6-2, com vantagem de 5-3 no segundo set.

Totalmente descontrolada em quadra, Serena solicitou a presença do supervisor do torneio, o que interrompeu a partida por vários minutos. “Não é justo, não é certo. Isso é incrível”, reclamava a americana, aos prantos. Após o reinício da partida, Serena converteu seu saque, mas Osaka fez o mesmo, fechando o set em 6-4, selando a vitória em uma partida que sobrou diante da rival.

Em entrevista aos jornalistas, de acordo com o Jornal El País, Serena foi categórica ao dizer que a atitude do árbitro foi machista. “Ele nunca tirou um jogo de um homem por chamá-lo de ladrão. Isso que aconteceu comigo é um exemplo para que outra pessoa que tenha emoções, que queira se expressar e ser uma mulher forte. Elas vão poder fazer isso graças ao que aconteceu hoje. Talvez não tenha funcionado para mim, mas vai funcionar para a próxima pessoa”, enfatizou Serena.

Contudo, neste domingo, ainda foi multada em 17 mil dólares pela Associação de Tênis dos Estados Unidos pelo comportamento polêmico e antidesportivo na derrota diante da japonesa Naomi Osaka pela final do US Open.