COMPARTILHE

Já classificado para a Copa do Mundo e com a primeira posição das eliminatórias confirmada, o Brasil foi a Barranquilla enfrentar a Colômbia, ainda precisando de pontos para se garantir no mundial da Rússia.

Sob o forte calor de Barranquilla, Brasil e Colômbia não conseguiram fazer um primeiro tempo com as qualidade características de suas seleções. O Brasil dominou a maior parte da partida, teve as melhores oportunidades e se sobressaiu ao adversário.

Cuadrado teve atuação fraca no primeiro tempo (Foto: AFP / Luis Acosta)

A primeira oportunidade clara de gol veio aos 16 minutos. Após cobrança de escanteio de Willian e num bate rebate, a bola sobrou para Paulinho que chutou em cima da defesa. A seleção só voltara a assustar aos 27 minutos, quando Neymar fez jogada individual e a bola sobrou para Roberto Firmino que chutou no canto, Ospina mandou para escanteio.

Aos 33 minutos,  Alisson lançou para o campo de ataque, Neymar ganhou de cabeça da marcação e saiu livre na ponta esquerda, avançou até a área e na saída de Opina cruzou para Roberto Firmino que por pouco não conseguiu completar para o fundo das redes.

Cachorro chamou a atenção no final do 1º tempo (Foto: Reuters)

A única chance da Colômbia foi aos 42 minuto, James Rodriguez cobrou falta no canto e Alisson defendeu sem problemas. Após a jogada Colombiana, o futebol ficou em segundo plano. Um cachorro invadiu o gramado e fez a alegria dos torcedores ao se desvencilhar do funcionário que tentava tira-lo de campo.

Willian comemora golaço (Foto: AFP / Raul Arboleda)

Após o fato curioso, veio o que todos esperavam, bola na rede. Já nos acréscimos, Neymar recebeu lançamento e de primeira deixou para William que também de primeira acertou uma bomba no ângulo de Ospina, 1 a 0.

Falcão comemora seu 1º gol nas eliminatórias (Foto: Reusters)

No segundo tempo a Colômbia se lançou ao ataque e não demorou para chegar ao empate. Aos 10 minutos, Arias foi a linha de fundo e cruzou na cabeça de Falcão Garcia que testou pro chão, sem chances para Alisson.

Pouco depois James Rodriguez quase virou o placar. O camisa 10 da Colômbia cobrou falta fechada rasteira e acertou a trave, a bola ainda bateu no pé de Alisson mas não entrou.

James participou bastante da partida (Foto: AFP / Luis Acosta)

O forte calor de Barranquilla esgotou os atletas na segunda etapa. Foram poucas as grandes chances de gol. O Brasil só voltou a assustar aos 34 minutos quando Neymar recebeu de Paulinho e mandou a direita de Ospina.

Com o empate o Brasil chegou a 37 pontos nas eliminatórias, 11 a mais que a Colômbia. O Brasil volta a campo pelas eliminatórias no dia 5 de outubro, quando enfrenta a Bolívia fora de casa.

Notas:

Colômbia: 7,5 / José Pekerman: 7,5 / Média Geral: 7,5

Brasil: 8,0 / Tite: 7,5 / Média Geral: 8,0

Média da Partida: 7,5

Classificação:

Melhores momentos:

Coletiva:

(Foto: Pedro Martins / MoWA Press)

Tite: “A Colômbia tem muitos jogadores perigosos. James, Cardona, muitas opções ofensivas. Precisamos ter um plano defensivo muito grande. Eles apresentaram um padrão de jogo durante todo o tempo e isso dá consistência a equipe. Foi um grande jogo de futebol. Gostei da maturidade da equipe, que jogou em uma atmosfera adversa, tranquila com a classificação. Pecamos na finalização. Temos que manter a consistência, ter a posse de bola, criar chances e aproveitar as chances. Ninguém forçou cartão para não jogar contra a Bolívia. Foi um jogo duro, contra uma equipe que está na segunda colocação por méritos. Tentamos criar oportunidades boas, sempre tomando cuidado com o adversário.”

Ficha técnica:

Local: Estádio Metropolitano, em Barranquilha – COL / Horário: 17h30min(de Brasília) / Público e Renda:  Não divulgados  / Árbitro: Jesus Valenzuela (Venezuela) / Assistentes: Carlos Lopez (Venezuela) e Jorge Urrego (Venezuela) / Amarelos: Cardona (Colômbia); Daniel Alves (Brasil) / Vermelhos: Nenhum / Gols: Willian (46’/1ºT) (Brasil); e Falcão Garcia (10’/2ºT) (Colômbia)

Colômbia: Ospina; Arias, Zapata, Sánchez e Fabra (Tesillo); Carlos Sanchéz, Aguilar, Cuadrado (Yimmi Chará), Cardona (Téo Gutiérrez) e James Rodriguez; Falcão Garcia.

Técnico: José Pekerman

Brasil: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Filipe Luis; Fernandinho; Renato Augusto (Philippe Coutinho), Paulinho, Willian (Luan) e Neymar; Roberto Frimino (Gabriel Jesus). 

Técnico: Tite