COMPARTILHE

Pela primeira vez na história, o Internacional está rebaixado para a série B do Campeonato Brasileiro. O Colorado foi até o Rio de Janeiro neste domingo precisando vencer o Fluminense e torcer por resultados paralelos, mas nem sua parte conseguiu fazer. Em nova má atuação a equipe do técnico Lisca empatou em 1 a 1 com os cariocas e foi rebaixado.

(Foto: Ricardo Duarte/Inter)
(Foto: Ricardo Duarte/Inter)

O início do jogo deu a impressão de que o Internacional faria uma partida histórica, mas foi só “fogo de palha”. Depois de marcar alto e tentar abafar, o Colorado perdeu o controle antes dos 20 minutos. Passou a ficar submisso e olhando o Fluminense explorar os lados. A equipe carioca teve duas boas oportunidades e ainda perdeu um pênalti. Danilo Fernandes pegou firme a cobrança de Richarlison e injetou ânimo antes do intervalo.

(Foto: Mailson Santana/Fluminense)
(Foto: Mailson Santana/Fluminense)

Na etapa final o filme se repetiu. Começo em cima e nada mais. Com três trocas em menos de 10 minutos, Lisca abriu a equipe atrás da vitória e assistiu o Flu marcar e ficar à vontade. Aos 30, fez boa jogada quando a defesa do adversário era figurativa. Douglas chutou no canto e venceu o goleiro. Depois, acertou a trave com Wellington.

(Foto: Reprodução ESPN)
(Foto: Reprodução ESPN)

O Inter foi para o tudo ou nada e aos 43, Ferrareis aproveitou rebote e escanteio e acertou o canto esquerdo do goleiro, deixando tudo igual.

Classificação Final:

(Foto: Reprodução GloboEsporte.com)
(Foto: Reprodução GloboEsporte.com)

 

Notas:

Fluminense: 6,5 / Marcão: 7,0 – Média da equipe: 6,5

Internacional: 6,5 / Lisca: 7,0 – Média da equipe: 6,5

Média da partida: 7,0

Compacto:

Coletivas:

(Foto: Reprodução ESPN)
(Foto: Reprodução ESPN)

Marcão: “É uma pena pelo jogo que fizemos. Nosso grupo criou muitas chances, mas não conseguimos segurar o resultado. Fica esperança para 2017, com a alma tricolor do Abel. Diretoria nova, com pensamento de deixar o Fluminense forte. O torcedor nos apoiou o tempo todo. Esperança de um grande ano em 2017 com conquistas. Eu queria, na minha passagem, ganhar todos os quatro jogos e ir para a Libertadores. Mas sabemos das dificuldades. Sou funcionário do clube e estou à disposição para tudo. Em 2017, com Abel, que a gente consiga fazer um grande trabalho. Espero dar um suporte. avia muita coisa em jogo, uma grande responsabilidade. Precisávamos ter respeito à história do adversário, à nossa família, aos nossos torcedores. Isso que colocamos para os jogadores. Sabíamos que teríamos um jogo difícil, eles buscavam salvar o ano. Nosso time foi brilhante. Fizeram uma partida em que mereciam a vitória.”

(Foto: Ronaldo Bernardi)
(Foto: Ronaldo Bernardi)

Lisca: É um momento muito duro, difícil. Temos que ter muita calma, cautela, na avaliação. Não é o momento de expor as pessoas. É o momento de lamber as feridas, se levantar, fazer uma análise da temporada e buscar colocar o time aonde merece. Está vindo uma direção nova, com pensamento novo. Não consegui fazer os sete pontos que precisávamos nos três jogos que estive aqui. É hora de se fechar lá dentro e fazer uma análise interna. Faltaram três pontos. Não consegui fazer. O Inter nunca fez isso na competição, a não ser no início. Mas no andamento da competição o time foi fraco. No fim, tivemos dois jogos fora, um em casa. Sempre é melhor decidir em casa. Se a gente tivesse feito pelo menos um ponto em São Paulo, contra o Corinthians, poderíamos chegar aqui dependendo de nós mesmos. Não foi nos últimos três jogos que o Inter trilhou esse caminho de rebaixamento para a segunda divisão.”

(Foto: Eduardo Deconto / GloboEsporte.com)
(Foto: Eduardo Deconto / GloboEsporte.com)

Fernando Carvalho: A convite do presidente, me senti na obrigação de aceitar o chamado para tentar ajudar uma situação muito difícil. Desde o início, sabia que a situação era difícil. Minha ligação com o clube é histórica, desde 82, internamente. Infelizmente, o Inter não conseguiu resolver com a remobilização. Temos um grupo muito jovem que se abalou com esse ambiente beirando a zona do rebaixamento e depois dentro da zona, praticamente em toda essa segunda etapa. Na verdade, o Inter fez por merecer estar nessa situação. Os responsáveis por isso somos nós.
Eu sou responsável a partir de agosto das ações no futebol e não posso fugir da minha responsabilidade. Eu acabei entrando nesse clima, ficando abatido.”

Ficha técnica:

Local: Giulite Coutinho, Mesquita – TJ / Horário: 17h(de Brasília) / Público Total: 3.847 – Público Pagante: 3.377 / Renda: R$ 73.400,00 / Árbitro: Heber Roberto Lopes – SC (FIFA) / Assistentes: Kleber Lucio Gil – SC (FIFA) e Carlos Berkenbrock – SC / Amarelos: Marcos Júnior (Fluminense); Alex (Inter) / Vermelhos: Nenhum / Gol: Douglas (17’/2ºT) (Fluminense); Gustavo Ferrareis (42’/2ºT) (Inter).

Fluminense: Júlio César (Marcos Felipe); Wellington, Nogueira, Henrique, William Matheus; Douglas, Edson, Gustavo Scarpa; Wellington, Richarlison (Marcos Júnior), e Henrique Dourado (Pedro)

Técnico: Marcão.

Internacional: Danilo Fernandes; William, Paulão, Ernando e Alex (Andrigo); Anselmo, Rodrigo Dourado, Anderson; Valdívia (Gustavo Ferrareis), Nico López e Vitinho (Ariel).

Técnico: Lisca.

Apenas cumprindo tabela, Grêmio perde para Botafogo na Arena

Apenas cumprindo tabela no Campeonato Brasileiro, o Grêmio recebeu o Botafogo neste domingo na Arena, pensando apenas em comemorar o título da Copa do Brasil conquistado na quarta-feira. Com isso, o Grêmio foi com time reserva a campo e sem Portaluppi, que já havia digo que não queria saber da última rodada e que ficaria “de chinelinho” após o título.

(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

Mesmo jogando fora de casa, o Botafogo começou fazendo pressão em busca de logo abrir o placar. Tanto que logo aos três minutos de jogo, Sassá teve uma grande chance, quando recebeu de Camilo e finalizou forte, mas a bola passou a direita do goleiro Léo. Porém o primeiro gol do time visitante na partida não demorou para acontecer. Aos 16 minutos, Camilo bateu falta na área, Emersom Silva ajeitou e a bola sobrou para Bruno Silva, que giro e mandou a bola para o fundo das redes. Na comemoração, o meia homenageou a Chapeconense, seu ex-clube.

A resposta do Grêmio só foi acontecer aos 31 minutos. Everton arrancou pela esquerda e tocou para Bolãnos. O equatoriano ajeitou para Kaio, que da entrada da área chutou sobre o gol de Sidão, desperdiçando uma grande chance para o empate. Apesar disso, a pressão continuou, dessa vez foi a vez de Bolãnos ter sua chance, mas chutou em cima do goleiro adversário. Até por conta disso, a primeira etapa terminou mesmo com a vitória parcial do Botafogo.

(Foto: Lucas Uebel/Grêmio)
(Foto: Lucas Uebel/Grêmio)

Diferente da primeira etapa, o segundo tempo começou truncado com os dois times buscando achar espaço para se lançar à área adversária. Tanto que a primeira chance de perigo, foi acontecer apenas aos 10 minutos, quando Henrique Almeida recebeu pela esquerda e arriscou de fora da área. Mas Sidão bem colocado conseguiu fazer a defesa, evitando o que seria o gol de empate. Apesar desse lance, quem dominou os primeiros minutos da etapa complementar foi o time visitante.

(Foto: Lucas Uebel/Grêmio)
(Foto: Lucas Uebel/Grêmio)

Tanto que aos 26 minutos, Camilo cobrou falta com categoria mas a bola acabou explodindo no travessão. Depois do susto, os donos da casa melhoraram na partida. Aos 30, Guilherme cruzou pela esquerda, Sidão tentou afastar mas a bola sobra para Bolãnos, que desviou para o fundo das redes, porém o arbitro marcou impedimento no lance e anulou o gol. Nos minutos finais, o Grêmio foi com tudo para o ataque tentando empatar, mas sem sucesso. Até por conta disso, a partida terminou mesmo com a vitória mínima do Botafogo.

Notas:

Grêmio: 6,0 / James Freitas: 6,5 – Média da equipe: 6,5 

Botafogo: 7,5 / Jair Ventura: 7,5 – Média da equipe: 7,5

Média da partida: 7,0

Compacto:

Coletivas:

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

James Freitas: “Não fizemos um jogo ruim, naturalmente o segundo tempo dominamos em função da superioridade numérica. Mas o primeiro tempo não foi ruim. O Botafogo fez um gol em segunda bola no escanteio, houve uma desatenção e fomos penalizados com o gol. Temos muitos jovens no elenco e jovens promissores. Tivemos oportunidade de colocar o Arthur pela primeira vez, até me arrependi de não colocar antes, passamos a dominar mais e ter a bola, circular em função da qualidade de passe. Não conseguimos concretizar em gol. Teve um gol impedido e outras finalizações de média distância. A defesa do Botafogo também esteve bem. Carli e Emerson foram bem na bola aérea. Enfim, a gente tentou, não conseguimos empatar e virar o jogo.”

(Foto: Reprodução/ESPN)
(Foto: Reprodução/ESPN)

Jair Ventura: “Algumas pessoas me criticavam porque eu não tinha ambição. O que eu mais tenho na vida é ambição. Não gosto de vender sonhos. Gosto de concretizar. O objetivo interno sempre foi esse, por isso eu não falava a palavra. Mas como é bom falar Libertadores. Melhor estar do que falar. Prefiro fazer do que falar. A função do treinador é buscar o equilíbrio. Na hora fiquei nervoso, lógico, mas foi uma situação de jogo. Vamos falar de coisa boa. Já foi resolvido. Lógico que não foi certo, mas é coisa de vestiário. Nunca expus nenhum atleta. Vou estar sempre por eles. Eles são os grandes responsáveis por o Botafogo estar na Libertadores. As férias não vão acontecer. O meu objetivo era fazer o curso da Uefa no ano que vem. Já estou perdendo o curso da CBF, que começou na sexta. Segunda-feira estou indo para Granja. Quero estudar. Estou apenas começando. Quero buscar novos conhecimentos e me aprimorar.”

Ficha técnica:

Local: Arena, Porto Alegre – RS / Horário: 17h(de Brasília) / Público Total: 15.634 – Público Pagante: 14.101 / Renda: R$ 355.874,00 / Árbitro: Jailson Macedo Freitas – BA / Assistentes: Alessandro A Rocha de Matos – BA (FIFA) e Jose Carlos Oliveira dos Santos – BA / Amarelos:  Negueba (Grêmio); Émerson Silva, Airton e Sassá (Botafogo) / Vermelhos: Aírton (Botafogo) / Gols: Bruno Silva (17’/1º) (Botafogo).

Grêmio: Léo; Wallace Oliveira, Rafael Thiere, Walter Kannemann, Iago; Jailson, Arthur (Kaio), Guilherme (Negueba), Miller Bolaños; Everton e Batista (Henrique Almeida).

Técnico: James Freitas.

Botafogo: Sidão,; Alemão, Émerson Silva, Joel Carli, Victor Luis; Airton, Bruno Silva, Camilo Rodrigo, Diogo; Pimpão e Rodrigo Lindoso.

Técnico: Jair Ventura.