COMPARTILHE

Ontem o Brasil de Pelotas venceu o Criciúma fora de casa e espantou a crise pelos lados do Bento Freitas. O time venceu por 2×1, sofreu no final mas manteve o placar que deu os três pontos para o time gaúcho.

No partida o time da casa começou perigosamente botando uma bola na trave, porém o xavante equilibrou a partida e conseguiu abrir o marcador aos 31 minutos, com Lincom. O Criciúma foi para cima e colocou mais uma bola na trave no final do primeiro tempo.

Na segunda etapa o rubro negro marcou mais, aos 9 minutos Éder Sciola recebeu sozinho e marcou o segundo gol.  Aos 22 minutos Teco teve  a infelicidade de fazer o gol contra, apesar da pressão do time mandante o Brasil conseguiu segurar o jogo e trazer os 3 pontos para Pelotas.

Melhores Momentos:

 

Entrevistas após a partida:

Edson Borges, zagueiro do Criciúma: “A gente lutou, tentamos, tivemos algumas oportunidades, bola na trave, Voltamos para o segundo tempo melhor, mas quando estávamos pressionando tomamos o gol no contra-ataque. Mas não tem terra arrasada.”

Éder Sciola, Lateral do Brasil de Pelotas: “A gente sabia da importância desse jogo. Como não conseguimos o resultado em casa, tínhamos que buscar fora. Fomos felizes, fizemos o que o professor pediu e pudemos sair com a vitória”.

Luiz Carlos Winck, técnico do Criciúma: – No primeiro tempo o Brasil jogou no nosso erro, no contra-ataque rápido. Pouco chamamos a responsabilidade do meio pra frente. Não nos encontramos bem. Melhoramos no segundo tempo, mas tomarmos mais um gol logo no começo. Isso desestabilizou. Houve a melhora, mas não foi suficiente para virar o jogo –

Ficha Técnica:

Local: Heriberto Hulse ,Criciúma– SC / Horário: 19h15min / Árbitro: Francisco Nascimento (AL) / Auxiliares: Pedro Jorge Santos (AL) e Wagner Jose da Silva (AL) / Amarelos: Jonatan Lima e Édson Borges (Criciúma); Marcinho, João Afonso e Leandro Leite (Brasil) / Gols: Lincom, aos 31min1T, e Éder Sciola, aos 9min2T (B); Teco, contra, aos 23min2T (C).

Criciúma: Luiz; Diogo Mateus, Nino, Edson Borges e Márcio Goiano; Jonatan Lima (Erick Flores), Ricardinho, Silvinho, Caio Rangel (Fabinho Alves/Alex Maranhão) e Douglas Moreira; Lucão.

Técnico: Luiz Carlos Winck.

Brasil: Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Teco e Breno; Leandro Leite, João Afonso (Ednei), Itaqui (Nem), Marcinho e Juninho; Lincom (Misael). 

Técnico: Clemer