COMPARTILHE
(Foto: Divulgação)

O Campeonato Brasileiro da Série B chegou em um momento importante. Chegamos a um terço da competição. Apontado por todos como o grande favorito ao título, o Internacional ainda não conseguiu embalar no campeonato e tranquilizar sua torcida, que espera o acesso à Série A o quanto antes. Após troca no comando técnico, e muitas mudanças na equipe titular, somente agora, no mês de julho, o Inter parece ter uma equipe titular e apresentar evoluções que enchem os colorados de esperança de que dias melhores virão pelos lados do Beira Rio.

(Foto: Ricardo Duarte/Inter)

TROCA DE TÉCNICO NO INÍCIO:

(Foto: Wesley Santos)

O Internacional iniciou sua disputa na Série B com o técnico Antônio Carlos Zago. Contratado em dezembro junto ao Juventude, o ex-zagueiro da seleção brasileira era a esperança de renovação na equipe que havia sido rebaixada. Porém, a convicção no trabalho do técnico não durou muito. A melhor atuação colorada sob o comando do então treinador, foi na estreia, vitória por 3×0 contra o Londrina fora de casa. Na segunda rodada, empate frustrante em casa contra o ABC. Com a derrota para o Paysandu na terceira rodada, Zago não resistiu e foi demitido sob a alegação da falta de um estilo de jogo definido na equipe.

(Foto: Wesley Santos)

A direção então foi ao mercado e trouxe o já conhecido dos colorados Guto Ferreira, que estava no Bahia. No currículo, muitos anos de trabalho no Inter, e acessos à Série A com a Ponte Preta e o próprio Bahia. A contratação foi vista com certa desconfiança pela torcida, que preferia nomes de maior impacto como Levir Culpi ou Marcelo Oliveira, que estavam livres no mercado.

PROBLEMAS NA PARTE FÍSICA ATRAPALHARAM O NOVO TREINADOR:

(Foto: Ricardo Duarte/Inter)

Logo em sua chegada, Guto Ferreira e sua comissão constataram problemas físicos no grupo colorado, fazendo o treinador poupar diversos titulares em suas primeiras partidas no comando. Com uma grande maratona de jogos, Guto também não teve muito tempo para treinamentos, e foi escalando a equipe na base das conversas e vídeos. Nesse meio tempo, algumas vitórias importantes, como contra o Figueirense fora de casa e Náutico no Beira Rio. Porém em algumas partidas, a equipe do Inter assustou seu torcedor, tamanha foi a falta de qualidade demonstrada em campo, nos empates contra o Santa Cruz e Paraná, e a derrota em casa para o modesto Boa Esporte.

ENFIM, SEMANAS PARA TRABALHAR:

(Foto: Ricardo Duarte/Inter)

Após a derrota em casa para o Boa, na 11ª rodada, enfim o técnico Guto Ferreira teve o tempo que queria para trabalhar. A direção do Inter levou todo o grupo para Hotel Vila Ventura em Viamão. a fim de dar tranquilidade para os jogadores trabalharem. Porém, a primeira partida após os treinamentos não teve o resultado esperado. Empate em casa com Criciúma por 1×1, mas o consenso entre todos no Beira era de que já havia sinais claros de melhora no desempenho da equipe.

(Foto: Ricardo Duarte/Inter)

A confirmação do crescimento e da evolução do time veio na 13ª rodada. Podendo repetir pela primeira vez a equipe, o técnico Guto Ferreira começou a dar um padrão ao time, que venceu o Ceará com tranquilidade por 2×0 fora de casa, trazendo novamente esperança aos colorados de que a volta à Série A é questão de tempo.

PROBLEMAS NO BEIRA RIO, TRANQUILIDADE FORA DE CASA:

(Foto: Ricardo Duarte/Inter)

Ao início do Campeonato Brasileiro, acreditava-se que o Beira Rio seria uma grande fortaleza para o time do Inter conquistar as vitórias. Porém, não é isso que se desenha no campeonato. O colorado tem a penúltima campanha atuando em casa, somando apenas uma vitória, além de quatro empates e uma derrota. A direção colorada chegou a investir em um coach e uma psicóloga para ajudar os jogadores, pois foi constatado que a pressão exercida no Beira Rio está fazendo mal aos jogadores, que não conseguem desempenhar todo o seu potencial no estádio colorado.

(Foto: Ricardo Duarte/Inter)

Já fora dos seus domínios, a situação é bem diferente. O Inter tem a melhor campanha da competição atuando como visitante. Com incríveis 66,6% de aproveitamento, a equipe somou 14 dos seus 21 pontos atuando fora de casa. São quatro vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Os números da campanha colorada em sua primeira participação na Série B endossam o amadurecimento da equipe para saber se portar com uma característica mais reativa, para aproveitar os espaços deixados pelos rivais dentro de campo.