COMPARTILHE
(Foto: Acervo pessoal)

O Pelotas inicia oficialmente na segunda-feira (24) a pré-temporada visando as copinhas do segundo semestre. Com 13 jogadores e um novo técnico (o quinto em dois anos), o áureo-cerúleo iniciou os trabalhos mirando a conquista de uma vaga a série D.

(Foto: Leandro Lopes/DP)

Os primeiros atletas apresentados nesta segunda foram os goleiros, são eles: Rafael Copetti e Guilherme Medina. O primeiro, chega para ser titular do Lobão. Com 26 anos, Copetti traz no currículo grande clube, entre eles, Internacional, Benfica e Vasco da Gama. O arqueira, chega no clube a pedido do técnico Thiago Lopes, com trabalhou na base do Inter e Bragantino. “Recebi a ligação do Thiago. É um clube que tem camisa, torcida e tradição. É um cara jovem que tem conhecimento. Hoje ele vive o futebol moderno”, disse o goleiro em sua apresentação na Boca do Lobo.

Carreira:

(Foto: Acervo Pessoal)

Natural de Chapecó, em Santa Catarina, Rafael Copetti começou a carreira nas categorias de base do Avaí em 2007. Da equipe catarinense foi para o Internacional, onde se destacou na base, despertando o interesse de grandes clubes da Europa. E em 2011, foi negociado com o Benfica de Portugal, onde ficou até 2014, neste período atuou por empréstimo no União Leiria também de Portugal.

Após a passagem pela Europa, Copetti retornou ao Brasil para defender o Vasco da Gama. No clube carioca foi Campeão Carioca em 2015, ano em que deixou o clube, depois de atuar na equipe carioca foi para o ABC onde conquistou a Copa RN e o Campeonato Potiguar de 2016. O goleiro ainda defendeu Serrano-PB e PSTC, clube onde atuou na última temporada.

(Foto: Acervo Pessoal)

Ficha técnica:
Nome: Rafael Copetti Fernandes
Nascimento: 04/04/1991 – 26 anos
Natural: Chapecó-SC
Altura: 1,93m

Carreira:
(2011) Internacional
(2011-2014) Benfica
(2011-2012) União de Leiria
(2014-2015) Vasco da Gama
(2016) Bragantino
(2016) ABC
(2017) Serrano-PB
(2017) PSTC
(2017) Pelotas

Conquistas:
2015 | Campeonato Carioca
2016 | Copa RN
2016 | Campeonato Potiguar

Confira uma entrevista exclusiva que fizemos com o novo camisa 12 do Pelotas:

– Para o torcedor que ainda não te conhece, fala um pouco sobre sua trajetória no futebol, onde começou e os últimos clubes que defendeu.
“Comecei no Avaí em 2007, depois no fim do ano fui para o Inter onde fiquei até fim de 2011. Depois fui para o benfica de Portugal, agora esse ano estive no Serrano da Paraíba e depois PSTC do Parana”.

– Como foi tua passagem pelo Benfica, umas das principais equipes do futebol mundial?
“Olha o Benfica é uma grande equipe, sua torcida é muito apaixonada pelo clube. Sou muito grato pela oportunidade de vestir aquela camisa foram 2 anos de muito aprendizado no futebol português, o que me ajudou muito no meu amadurecimento dentro e fora de campo”.

– Teu último clube foi o PSTC do Paraná, que diferenças tu acha marcantes em relação ao futebol que é jogado lá e aqui, ainda mais no interior do Estado?
“Acho que o futebol gaúcho é um jogo com mais contato, mais aguerrido e o interior do Estado é um futebol ainda mais forte na questão física. O Pelotas é um time de camisa, de historia no futebol acho que fiz a escolha certa”.

– O editor chefe do nosso site também se chama Rafael Copetti. Tu conhecia ele, como ficou sabendo dessa curiosidade? Sabe da existência de algum parentesco entre vocês?
“Conheci ele (Rafael Copetti) em um jogo no Zequinha onde ele veio falar comigo porque viu na súmula do jogo meu nome. Achei um fato bacana isso, foi ali por 2009. Acho que devemos ter um parentesco mais distante sim”.

– Tu tá chegando ao Pelotas, em um dos piores momentos da história do clube. que mais um vez não conseguiu retornar a elite do futebol Gaúcho. De que maneira isso pesou na tua decisão por retornar ao futebol gaúcho?
“O Pelotas hoje passa por esse momento, mais espero poder contribuir com meu trabalho para que ele volte ao lugar que deve. Pesou, pois o Pelotas é um time de camisa, de tradição, que tem uma torcida fanática e fazer parte desta equipe e desse projeto que me foi passado é uma honra para mim”.

– Como um jogador experiente, que atuou em grandes equipes do Brasil e na Europa, o que tu acha que faltou pro Pelotas nessa temporada que deve ser feito, já para as copinhas do segundo semestre?
“Acabei não acompanhando muito o Pelotas na segunda divisão este ano, pois estava no nordeste. Mais para a copinha devemos nos unir, respeitar a instituição e sempre acreditar no nosso trabalho e potencial da equipe. E juntos com todos que fazem parte do Pelotas, inclusive o torcedor iremos alcançar os objetivos traçados degrau por degrau, jogo a jogo todos juntos”.

– Para encerrar deixe uma mensagem para o torcedor áureo-cerúleo?
“Que o torcedor possa vir nos apoiar e jogar junto, pois ele será muito importante nessa reformulação do time. Peço que acreditem em nosso trabalho, pois dedicação não irá faltar”.