COMPARTILHE
Gre-Nal 417 acabou com vitória colorado e ficou marcado por confusões após a partida / Foto: Jefferson Botega - Agencia RBS

No auge de sua criatividade poética, o ex-centroavante Jardel, ídolo do Grêmio nos anos 90, já dizia: Gre-Nal é Gre-Nal, e vice-versa. Mesmo que didaticamente não seja tão fácil explicar a frase do ex-craque, o significado dela é compreendido no sentimento dos torcedores que vivem o clássico. Assim sendo, o Gre-Nal 417 não poderia ser apenas mais um entre tantos já disputados. Ele veio recheado de expectativa e peculiaridades.

De um lado, o Internacional, líder do Brasileirão ao início da rodada, precisava da vitória para se manter nesta posição. Do outro, o Grêmio, que iniciara a rodada há 5 pontos do colorado, tentando se aproximar da liderança e dificultar a vida do tradicional rival na luta pelo título.

Dentro de campo, porém, se viu um jogo muito disputado, mas tecnicamente abaixo do esperado e com poucas finalizações a gol. Edenílson foi o autor do único gol da partida, que, após o jogo, ficou marcada por muita confusão e polêmicas em frente aos vestiários, e nas entrevistas coletivas.

André (Grêmio) que herdou posição do lesionado Jael, em Disputa com Cuesta (Inter), personagem de confusão no intervalo. / Foto: Lucas Uebel – Grêmio

Com muito estudo por parte das duas equipes, o primeiro tempo teve muitos passes errados e nenhuma finalização no gol. Lomba e Grohe apenas assistiam. Mas, se dentro de campo o jogo deu sono, a saída para o intervalo foi bem agitada. Cuesta e Ramiro bateram boca e a confusão se fez, e foi necessária a intervenção dos seguranças das equipes.

Edenilson, autor do único gol da partida / Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital

Antes mesmo do início da segunda etapa, Cuesta, Rossi e Ramiro receberam cartão em virtude da confusão no intervalo. Em campo, viu-se um início também abaixo do esperado, tendo a primeira finalização da partida apenas aos 14 minutos, justamente no gol colorado. Aproveitando cruzamento da esquerda, Edenilson subiu de cabeça para marcar o gol da vitória e da manutenção da liderança. Depois do gol, o Grêmio assustou ainda duas vezes através de André e Geromel. O inter chegou com Leandro Damião duas vezes. Na segunda oportunidade, o centroavante do internacional mandou a bola para as redes, mas estava impedido.

Coletivas:

Apesar da vitória do internacional, o grande destaque das entrevistas coletivas após da partida foi o técnico Renato Gaúcho, que fez declarações fortes em relação à confusão que ocorreu após a partida, em que, segundo ele, os jogadores colorados foram “tirar onda” pela vitória.

Foto: Lucas Uebel / Grêmio

Renato Gaúcho: “Em primeiro lugar, o Grêmio é grande, sabe ganhar e sabe perder. Hoje foi um Gre-Nal disputado, em que o Grêmio poderia ter saído com a vitória, mas tem gente que não sabe ganhar. E aí querem tirar uma onda. Estamos calados há seis meses. Vocês não sabem. Os jogadores do Internacional sabem do que estamos falando. Entendo a euforia deles, porque fazer uma boa campanha no Campeonato Brasileiro é muito para eles. Bom cabrito não berra. Aproveitem o campeonato deles. Venceram, sem problema algum. Eu, como um gentleman, de boa educação, fui conversar com alguns deles e não deixaram eu entrar. Fui cumprimentá-los. Entendi a euforia deles. Nós, que estamos acostumados a ganhar, sabemos perder. Agora, tirar onda do Grêmio ninguém vai tirar. Agora, o que eles fizeram, acho que os torcedores do Internacional deveriam saber.”

Para explicar a fala do treinador, o ex-dirigente Odorico Roman, que se desligou do clube no início do ano, postou o seguinte em seu twitter:

Durante a confusão, em áudio capitado pela Rádio Bandeirantes, o capitão Maicon proferiu ao meia D’alessandro xingamentos, também acusando jogadores colorados de terem pedido “arrego” anteriormente. Ouça abaixo:

 

Pelo lado vermelho, o técnico Odair Hellmann buscou fugir das polêmicas e disse que, apesar da vitória importante, o jogo vale os mesmos três pontos das demais partidas do campeonato.

Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter

Odair Hellmann: “Eu falo de futebol e olho à frente. Respeito vitórias e derrotas. É assim que sigo a minha carreira. Dois últimos três Gre-Nais, ganhamos dois e empatamos um. Ganhamos um, fomos desclassificados e eles comemoraram. Quando perdemos, vamos no outro dia e trabalhamos. Aqui não há desrespeito. Não ganhamos nada. Só ganhamos um jogo. Hoje era clássico, mas vale os mesmos três pontos da Chapecoense. Estamos muito tranquilos. Estamos focados no nosso trabalho.”

Foto: Diego Guichard / GloboEsporte.com

Na contramão da fala do comandante, o volante Rodrigo Dourado tratou de rebater as declarações de Maicon.

Rodrigo Dourado: “O Maicon jogou hoje ? Não vi em campo. Esses caras primeiro têm que jogar para falar gracinha. Eu hoje não estava 100%, não sabia se ia jogar, mas tomei duas injeções para jogar. Eu não fujo do Gre-Nal. Está aí, ganhamos o jogo”, disse o volante colorado que acrescentou “Eu não sei de onde tiraram isso. Não estou sabendo de nada, só perguntando para o Renato e para a diretoria pra eles explicarem. Nós não sabemos de nada.”

Ficha técnica:

Internacional 1×0 Grêmio

Local: Estádio Beira-Rio / Horário: 16:00 (Brasília) / Arbitro: Pericles Bassols Cortez (PE) /  Assistentes: Clovis Amaral da Silva e Bruno Cesar Chaves Vieira (PE) / Cartões amarelos: Nico López, Cuesta, Rossi (Inter), Luan, Thaciano, Ramiro, André, Marcelo Grohe (Grêmio) / Gol: Edenilson (Inter), a 13 minutos do segundo tempo / Público: 44.176 / Renda: R$ 1.375.621,00.

Internacional (1):
Marcelo Lomba; Zeca, Moledo, Cuesta e Uendel (Fabiano, 32’/2º); Rodrigo Dourado, Edenilson, Patrick, Nico López (D’Alessandro, 41’/2º) e Pottker; Jonatan Alvez (Damião, 20’/2º).
Técnico: Odair Hellmann.

Grêmio (0):
Marcelo Grohe; Léo Moura, Geromel, Bressan e Bruno Cortez; Cícero e Thaciano (Pepê, 19’/2º); Ramiro, Luan (Jean Pyerre, 28’/2º) e Alisson; André (Thonny Anderson, 38’/2º).
Técnico: Renato Portaluppi.