COMPARTILHE

A mais tradicional e apaixonante prova do automobilismo gaúcho reserva um pouco de cada sentimento: emoção, adrenalina e êxtase ao final das 12 horas de corrida no veloz circuito de Tarumã. O grid é composto de protótipos e carros de turismo e é sempre uma atração à parte no momento da largada, marcada para a meia noite de sábado (19/12).

Na edição do ano passado, o MCR 46 do quarteto formado por Vitor Genz, João Sant´Anna, Carlos Kray e Christian Castro teve uma atuação brilhante do início ao fim e venceu completando 552 voltas e cruzando a linha de chegada com uma vantagem significativa de 22 voltas para o adversário. Desde as 6h um problema no câmbio do MCR 46 assustou a equipe. Com o defeito reparado, o time continuou na pista e no final os pilotos diminuíram o ritmo para não haver risco de parada. O 2o lugar ficou com o protótipo Tubarão, seguido da Maserati número 18. O piloto Vitor Genz, um dos que formou o time vencedor em 2014, quer repetir a dose.

– A equipe está trabalhando bastante em cima do MCR para deixá-lo rápido e confiável. 12 Horas de Tarumã é sempre muito difícil e muitas coisas podem acontecer. Então é importante estarmos muito bem preparados – disse.

Uma das equipes favoritas em diversas categorias é a MC Competições. Na principal, o protótipo Tubarão 10 com motor V8 é atração. O time será formado por Tiel de Andrade, Eduardo, Guilherme e Osvaldo Sherer. O carro compete pela segunda vez nas 12 Horas de Tarumã e já foi vencedor da corrida de 800Km em Curitiba. Na classe turismo são dois representantes: o Volvo C30, terá o quarteto Rodrigo Bacher, Júlio Martini, Cícero Paiva e Rodrigo Lemke. Já o Ford Focus tem no comando Daniel Correa, Kauê Souza e Júlio Martini.

A premiação será dividida em categorias Protótipos, Turismo Importado e Turismo Nacional. O melhor classificado em cada uma leva o tão almejado Troféu Fita Azul. Além disso, há troféu para Pole Position em cada uma das categorias e troféus para cada categoria destinada aos 3 melhores colocados.

Como não poderia deixar de ser, o automobilismo gaúcho reconhece e valoriza o seu passado. A cada ano, o Automóvel Clube do Rio Grande do Sul presta uma homenagem a um personagem marcante. A prova de 2015 traz a lembrança para Antoninho Muza Naime que presidiu o Conselho Deliberativo do Automóvel Clube do Rio Grande do Sul por 30 anos.

Os ingressos custam R$ 30,00 por pessoa e R$ 50,00 por pessoa com acesso aos boxes.